Meu relacionamento


fotoblog4
Num convívio em que a dificuldade de comunicação entre o casal é grande, os vínculos facilmente se enfraquecem e favorecem a desconfiança.

Encontrar a pessoa certa – que corresponda exatamente a tudo aquilo que gostamos e que entenda perfeitamente nossos sentimentos diante de uma situação contrária – pode parecer ideal, mas pouco provável.
Cada indivíduo tem uma resposta diferente para determinada situação. Conhecer nossos limites e controlar as fraquezas de nossos temperamentos pode ser a “pitada” certa para dar equilíbrio aos nossos relacionamentos.

Muitas vezes, dentro do convívio do casal, vai acontecer algo que nos tire do sério. Nessas horas, as circunstâncias podem nos levar a atitudes tempestivas, com palavras duras, as quais trarão à tona um comportamento pouco conhecido pelo nosso cônjuge. Por isso, saber que ninguém é um “super-homem” em virtudes ou uma “mulher maravilha” em compreensão nos permite conhecer as “misérias” do outro; e isso faz parte dos desafios de uma vida a dois.

Na partilha das realidades da vida conjugal percebemos as particularidades de temperamentos do cônjuge. Frequentemente, ouvimos alguém dizer que, por medo das reações do outro diante de certa circunstância, preferiu se calar em vez de expor suas idéias e reivindicações em prol da harmonia desejada.
Há pessoas que lidam mais facilmente com os desafios; outras são mais racionais ou têm facilidade para assumir a liderança das coisas, e assim por diante. Entretanto, ninguém é puramente virtude, pois também trazemos conosco nossos defeitos. Entendendo que um relacionamento acontece numa “via de mão dupla”, precisamos estar atentos para não exigir do outro somente atitudes de perfeição, quando reconhecemos em nós mesmos defeitos, os quais podem ser corrigidos com a disposição em sermos melhores por causa do outro.

Nosso cônjuge é a pessoa mais indicada para apontar aquilo em que precisamos nos empenhar a fim de melhorar nosso temperamento; o que, consequentemente, acaba refletindo no convívio a dois.
Não é nada agradável ouvir que cometemos um engano nisso ou naquilo, especialmente de quem amamos; afinal, nosso próprio conceito é de ser alguém irrepreensível. No entanto, um bom relacionamento traz sinais de sucesso quando o casal se dispõe a viver a honestidade, sobretudo, de maneira respeitosa na franqueza dos diálogos. As atitudes defensivas ou a recusa de conversar sobre aquilo que o outro julga importante dizer em nada ajudará no crescimento dos laços entre os casais.

Num convívio em que a comunicação entre as pessoas é pobre, os vínculos facilmente se enfraquecem e favorecem a desconfiança e a falta de respeito; atropelando, quase sempre, o direito e a integridade do outro. Situações mal resolvidas apenas tornam nosso convívio frio.
Antes mesmo que escoem pelos ralos os anos de amizade e comprometimento, a melhor atitude é falar sobre aquilo que parece não estar indo bem, a fim de encontrar uma saída, juntos, para uma situação que está tirando a paz no convívio.

Quando podemos contar com o interesse e a disposição do outro para nos ajudar a equacionar os impasses, a solução não parece ser tão impossível quanto demonstravam ser num primeiro instante. Assim, juntos e com a boa vontade de quem quer nutrir o amor, conseguiremos nos moldar às necessidades do outro para o comum do novo estado de vida, para o qual somos impelidos a viver.

Um abraço,

Dado Moura

Compartilhe com seus amigos!

19 Comentários

  1. Não sei explicar ou porquê. Que não consigo estabelecer um diálogo comeu marido, as vezes me sinto como se não fosses nada nada pra ele…sempre me surpreendo quando alguém comenta algo comigo em relação a ele achando que eu estou apar da situação sendo que eeu também não tinha conhecimento dos fatos. Vejo que estamos seguindo para um caminho sem volta. Infelizmente.

  2. Bom dia,
    Estou passando por um problema parecido com o do inicio da página. So que a falta de comunicação vem da minha parte e não do meu marido. Eu não consigo conversar com ele, ate estou indo a um psiquiatra fazer terapia porque me sinto tão mal, minha vida esta tão ruim porque vejo que não estou fazendo a minha parte no relacionamento. Eu ja sofri com depressão e acho que isso esta voltando em mim. Quando algo acontece comigo eu me fecho feito uma ostra e prefiro resolver isso aos poucos e sozinha. Ele lembra de tudo que deu errado no nosso casamento desde o início e joga isso em cima de mim o tempo todo, fala que eu não atendo as necessidades dele, que não converso com ele, que não namoramos mas nem temos tempo pra nos. eu me sinto extremamente frustrada por isso sinto que é uma incapacidade minha que ainda não sei como resolver mas que esta acabando com meu casamento.

  3. Estou em um dilema desses casei duas vezes com a mesma pessoa duas vezes a primeira foi por amor mesmo acredito que sim nos separamos na primeira vez pela sua falta de comunicação de simplesmente ficar frio ! Aquilo me entristecia muito pois eu o amava muito! Até que não aguentei e me separei ficamos separados quase três anos e logo em seguida fui embora para outro estado passado 11 meses nesse lugar ele começou a ter contato comigo novamente não só para saber do filho dele mas começou a puxar conversa comigo resultado da conversa acabei voltando para ele nos casamos já faz 4 anos que estamos juntos resultado ele continua a mesma pessoa não mudou nada sei que voltei dessa vez não por morrer de amor por ele mas sim pensando na família hoje percebo que não o amo mas é me sinto numa prisão !

  4. No inicio da relacao estava tudo bem ate quando passamos a morar juntos, sai sexta e volta sabado as 4:00, dorme um pouco telefone toca levanta faz um banho rapido sai e so volta domingo de madrugada, dorme e no periodo da tarde volta a sair ate la para 22:00 horas. Nisso tudo sempre embriagado. Independentemente da hora que chega ou ele liga ou recebe chamada e atende em viva voz so para eu saber que esta a falar com mulheres sem contar com fotos sensuais e mensagens com teor romantico de mulheres e tantos outros episodios. No principio optava pelo silencio e choro mas fui vendo que nao me ajudava em nad a e a ralacao so piorava. Quando introdizi o dialogo piorou de vez porque tudo que tentava concertar na base de dialogo virava contra mim, fui mal interpretada, chamada de nomes pejorativos e o silencio voltou da pior forma possivel. O meu relacionamento entregei nas maos de Deus porque ja fiz de tudo para que desse certo.

  5. Prezado, este assunto nunca esgota. Estou passando por esse problema com a minha esposa. Já no namoro, deixei muito claro minhas expectativas para o casamento e os sonhos que tenho para realizar. Por outro lado, ela nunca foi clara no que esperava da vida. Não achei que isso fosse problema desde que ela abraçasse os meus sonhos, porque assim como eu deveria estar disposto a ajudá-la a realizar todos os sonhos dela, acreditei que ela me ajudaria a realizar os meus. Porém, talvez por eu ser muito ativo, percebo uma certa vagarosidade nela em captar os meus anseios e andar no mesmo passo. Por um longo tempo resolvi ficar em silêncio e não gerar conflito por conta disso, pois da última vez que tentei expor o meu ponto de vista, teve choro pois ela é bem sensível. Mas na semana passada não aguentei. Em um atraso dela para se arrumar para sairmos, calmamente comecei a falar que se não planejarmos tudo em nossa vida, acabamos perdendo tempo e vendo a vida passar sem fazer nada do que sonhamos em fazer. Através disso fui enumerando tudo que achei que estava me incomodando. Isso foi motivo de discussão e agora estamos sem nos falar. Mas uma coisa que ela disse que eu concordo com ela é que ou eu fico em silêncio não dizendo o que me incomoda ou eu falo de um jeito que acaba com ela. Eu gostaria de conseguir falar sem jogar um peso nas costas dela, mas não vejo como. Então disse a ela que acho melhor eu não falar mais nada, já que ela só sabe me responder com choro e quando vai falar alguma coisa para me contestar, diz que eu disse coisas que eu não falei, mostrando que não entendeu nada do que eu estava falando.
    Nessa nossa última discussão fiquei bem magoado em ouvir dela que parece que ela está sozinha no relacionamento. Achei muita ingratidão. Mas na hora não disse nada, porque ela tantas coisas que estava em jogo que só agora me dei conta de como essa afirmação por parte dela me feriu. Depois de que nos casamos, achava que estava me esforçando tanto para fazê-la feliz. Abri mão de tudo que fosse possível para agradá-la sem exigir o mesmo dela para que ela se sentisse realizada comigo como marido. Ouvir isso e ter essas palavras ecoadas dentro de mim é bem frustrante.
    Um forte abraço!

  6. Cristiane Peres

    Palavras muito lindas!Que Deus te abençõe!

  7. eiiiii psiuuuu.nao adianta tentar mudar isso nao.isso faz parte dos relacionamentos. mas nesta faze e bom abrir o olho pois um vazio enorme entra no peito dos dois e alguem mais pode entrar na relacao.o silencio trata a alma mas quem nao entende interpreta como carencia.pode crer ja passei por isso e fiquei bem foi neste silencio a dois que eu soube de verdade oque sentia pelo meu esposo.enquanto estavamos nesta faze pus a observa lo.seu jeito, sorriso, mal humor , coloquei me a analiza lo e vi seus defeitos e qualidades. sempre no silencio.mas o problema esta em que a outra pessoa pode nao entender e interpretar como fim do relacionamento,e foi isso que meu esposo fez.comecou me trair,mas eu sei oque quero e quem amo .e descobri nele carencia pura. pois o silencio a dois e assim nos mostra os dois lados do ser humano que amamos.ajuda a reparar nossos erros a dois e a nos fortalecer como casal.se repararmos o deficit do outro e nao nos vangloriar por estar uns passos a frente podemos romper o silencio juntos e chegar ao lugar de alegria onde so o amor pode nos levar.

  8. Uma histórias sempre tem dois lados. Eu namoro a pouco mais de seis anos e atualmente não falo sobre minhas angústias, tristezas as vezes nem mesmo alegrias, o tempo não me presenteou com os ouvidos e atenção do meu namorado, quase sempre falando de si e de seu trabalho. Foi por me sentir sozinha que digitei no google a frase ” relacionamentos vazios” e me deparei lendo este artigo e por fim comentando a quem interessar que ignorar a solidão e os espaços que vão ficando de uma convivência de silêncio é viver de aparências do fim de um relacionamento, é estar ali sem estar.

    • Me identifiquei tanto com suas palavras, que pareceu que vc estava me descrevendo e descrevendo o que estou vivendo.

  9. A mim, parece muito claro. O amor perdura, o que muda, é a forma de amar. Com o passar do tempo, vai perdendo aquela urgência, aquele frenesi. O amor se transforma em algo mais calmo, em companheirismo, em amizade, etc. O difícil mesmo, é quando cessam as palavras. Difícil mesmo, é conviver com alguem que parece que há muito já não está presente, mesmo estando. Sem nenhuma sombra de dúvidas, alguém vai sair muito machucado e solitário(a). Este para mim, é o principal problema de um relacionamento e suas consequencias…. Dois estranhos conhecidos que não se comunicam. Erro fatal!

  10. Nsalambi Pedro

    é verdade de que o dialogo é a chave para o conhecimento mutua, porque quando nos casamos não nos conhecemos melhor, só vamos nos descobrindo quando conversamos, e esta conversa deve ser chara sem se mascarar, porque mesmo quardarmos a verdade, dizem que a mentira vem de elevador e a verdade nos degraus mas ate que vai chegar. E só descobriremos a verdade na medida em que estejamos m dialogo

  11. ola dado…tudo bem???
    Somos seres humanos falhos…em tudo…pensamento , emoções, sentimentos….e isto sabemos, porque?….Quando estamos fazendo algo, qualquer coisa sabemos quando aquilo não é verdadeiro, digo verdadeiro porque sempre esperamos algo em troca daquilo que fazemos…Fazemos coisas que isto ira nos prejudicar, mas mesmo assim fazemos porque queremos assim que seja feita , mesmo que isto mais tarde venha nos prejudicar…por exemplo…fumar, namorar com alguem só porque a pessoa é bonita, fazer sexo sem motivo etc…e final de tudo isto vem a decepcão…..não temos mais de retorno por parte de outra pessoa aquilo que pretendemos. Somos falhos irresponsavel com nós mesmos, imagine com os outros!!!!Não me conheço e como assim poderei conhecer ao proximo???Nos dias de hoje somos todos vazios e não mais nos importamos com o proximo…..abraços

  12. Oi Dado, estou vivendo uma crise no meu casamento, a falta de dialogo, de afinidade, e a minha falta de perdão, está acabando com meu casamento, até a nossa intimidade, foi comprometida, estou precisando de ajuda pois amo muito meu marido e sei que ele ainda me ama, mais continuarmos assim vamos nos separar.
    Rese por mim, pelo meu matrimonio.

  13. Olá Dado
    Estou passando por um crise no namoro (cristão) que já vem perdurando a meses. Encontrei seu blog (tenho certeza que há um propósito nisso), no meio das minha falta de esperança em ver esse quadro se reverter. Por que é tão difícil reconhecermos nossos erros e nos comunicar verdadeiramente um com o outro?
    A verdade é que não sei mais se o que sinto é amor ou se algum dia senti. Estou confusa e preocupada. Hoje vou colocar isso diante do Senhor, toda essa minha inquietação, em nome de Jesus, vai passar! Creio que vou conhecer a resposta de Deus para minha vida e para o meu relacionamento. Sei que os seus textos serão luz para iluminar meus caminhos. Conto com a sua ajuda!
    Muito obrigada!

  14. Pingback: Aprendendo a não parar nos erros « Dado Moura – comportamento, relacionamentos, namoro, casamento e outras reflexões

  15. karine s. t.

    Realmente a comunicação é importante para um relacionamento dar certo. Já passei por uma situação parecida e talvás acho que estou passando de novo. Não sei se o problema é meu… talvés a pessoa tenha medo de falar comigo… por mim acho que sou uma pessoa super tranqüila, porém as vezes tenho dificuldade em dar com o meu conjugue. Ele se fecha quando depara com um problema e carrega tudo para si, e ele não compartilha isso comigo. Tenta resolver tudo sozinho… Será orgulho dele? Quando ele se fecha parece que eu não existo para ele… ou talvés isso seja imaginação minha por ele não conversar comigo? Talvés como vc disse… os vínculos se enfraquecem e vem a desconfiança… Por causa disso existem pequenos momentos na qual penso em separação… Relacionamento é complicado.

  16. Achei muito importante estes artigos aqui publicados. A nossa sociedade precisa muito disso, orientação, educação, direção. Li o artigo num momento de discussao com meu namoradoe depois ele leu sem querer também, juntos a gente refletiu e melhorou nossa discussão.

    Obrigada!

  17. Ricardo Sconamiglio

    Bom dia !
    Gostei muito do artigo, uma sacada legal levar em consideração do temperamento do outro e a necessidade de encontrar um canal de comunicação que seje reciproco no relacionamento.

  18. mariadefatimapb

    Caríssimo,Dado Moura.Paz de NSJC.- Sou gratíssima pelos seus artigos.Se fosse necessário classificá-los,eu não teria tempo para encontrar dentre tantos,o melhor.Sou Canção Nova todo o tempo; sou Comunidade.CN.-Abraços,meu irmão em Cristo.Obrigada,fazer a leitura dos seus artigos,eleva o espírito,a alma…!

  19. Conclusão perfeita como sempre!

    Deus te abençoe!

    “Seja fiel ao seu trabalho, à sua palavra, ao seu amigo.”
    Henry David Thoreau

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *