Meu relacionamento

Aprendendo a não parar nos errosUm relacionamento não se faz somente em função de uma pessoa, mas entre você e o outro ou entre você e um grupo de pessoas

A comunicação é a chave de todo relacionamento, mas dialogar com quem nos agrediu com  palavras ou atos, muitas vezes, vai exigir de nós mais que um esforço. Podemos prevenir muitas situações desagradáveis quando nos abrimos às vias para a troca de ideias a fim de saber o que provocou feridas no outro.
Vários motivos podem levar alguém a entrar numa discussão, e recorrer a atitudes como evitar o contato ignorando a presença da pessoa com quem convivemos – como se diz popularmente: “dar o gelo” – não será a maneira mais adequada de se resolver um impasse.Atitudes como essas em nada contribuem para solucionar um problema, ao contrário, elas abrem precedentes para que as sementes de uma separação silenciosa germinem entre as pessoas. E sabemos que desse afastamento, muitas outras coisas poderão minar o bom convívio.

Aceitamos viver um relacionamento, porque acreditamos no comprometimento mútuo de fazer o sentimento que nos une perseverar ao longo de nossos dias. Ainda assim, seria um erro pensarmos que a pessoa com quem nos relacionamos seja perfeita. Ninguém traz em si uma bula descrevendo suas qualidades, tampouco as suas “contraindicações”. Dentro do nosso convívio, invariavelmente, muitos de nós vamos nos confrontar com os efeitos “colaterais” da personalidade e do temperamento da outra pessoa.

Podemos lembrar em situações anteriores que, após uma briga, depois que a “poeira se assentou”, muitas vezes, reconhecemos que as causas da discórdia poderiam ter sido resolvidas de outra maneira. Entretanto, muitas pessoas, em razão do orgulho, desistem da reflexão, a qual pode ser o início de uma mudança para controlar sua impetuosidade, por exemplo; e optam por abandonar seus relacionamentos. Sem admitir suas próprias atitudes, as quais podem  não condizer com a realidade a que se propunham viver – seja nas palavras, seja nos gestos ou no comportamento –, culpam o outro.

Desistir de manter o vínculo de amizade ou do compromisso com alguém em nada contribuirá para diminuir as dores daquele que se sentiu ofendido, tampouco poderá resolver a questão causadora do cisma do relacionamento.
Não há uma fórmula perfeita para se evitar crises, mas adotar algumas atitudes como o autocontrole, a paciência e a prudência, especialmente, no trato com as palavras, nos ajudarão a desenvolver a vivência da reconciliação necessária.

Reconhecemos que as turbulências dentro das nossas convivências não acontecem de uma hora para outra e, antes de julgar e condenar uma situação ou uma pessoa pelos desentendimentos, melhor seria estudar sobre aquilo que possa ter sido a origem do problema. Uma vez detectado, por que não assumir as possíveis adaptações para continuar a viver em harmonia quando nos sentirmos advertidos ou contestados em nossos conceitos?
A resistência em dobrar-se às exigências daquilo que é novo somente nos fará cada vez mais vulneráveis a reincidir no mesmo erro num futuro próximo.

É sempre bom considerar que um relacionamento não se faz somente em função de uma pessoa, mas entre você e o outro ou entre você e um grupo de pessoas que juntos se propõem a lutar pela eliminação das possíveis diferenças. E a maturidade em viver este compromisso está na capacidade de cada um de acreditar na mudança que o outro pode alcançar, mesmo  diante das divergências de opiniões ou atitudes.
Para cada um de nós caberá se abrir às descobertas que os nossos convívios podem oferecer e acreditar na nossa capacidade de mudança e na dos outros também!

Um abraço

Dado Moura

(publicado originalmente em mai-2010)

Compartilhe com seus amigos!

12 Comentários

  1. Luís Carlos manes

    Para haver diálogo precisa haver pessoas abertas para ouvir e ter humildade para dar chance para a idéia do outro, o maior problema é o orgulho e os donos da verdade !

  2. Republicou isso em Dado Moura relacionamentose comentado:

    tirando do baú

  3. Eu brigo muito com meu marido por causa do filho dele ja nao sei oq fasso me ajuden

  4. sheyla chaves

    Oi Dado, td bem? descobri o seu site hj atraves da CNova…..qta bençao….eu to vivendo exatamente essa situaçao, p nao me prolongar mto…..gosto ha mto tempo de uma pessoa, e eramos amigos, mas td mudou….há 2 meses, ele disse q nao sentia o mesmo e q nunca ficaria comigo so por curtiçao…..q o carinho dele era só amizade, só q desde entao, td vez q mando msn, ou email, ele responde frio……..é mto ruim ficar esse climao, mas a unica coisa q posso fazer é ficar na minha agora…..quem sabe um dia voltamos a nos relacionar…..

  5. por pouco não perdi meu esposo por falta de diálogo quando comecei ler seus email maravilhoso e tenho certeza que foi deus que tu usou e colocou no meu caminho e hoje estou bem mais preparada para um diálogo claro e objetivo entre eu e meu esposo que deus te abençõe hoje e sempre amem.Edileusa salvino maceió alagoas.

  6. Poxa… Incrivelmente acabei de tentar um dialogo após uam discussão desgastante de um relacionamento desgastado no qual invisto muita energia (não sei bem porque!). Infelizmente não podemos fazer com que o outro compreenda essa necessidade, a importância do recurso da comunicação. Graças a Deus suas palavras acrescetam e mantém firmes nossa crença de que as coisas podem ser resolvidas e mesmo que não obedeça ao nosso desejo que não necessariamnte é o ideal pra nós. DEUS te ilumine sempre!

  7. Fatima Rocha

    Dado, lendo seus artigos vejo DEUS falando e se preocupando com seu povo.
    O que estamos vivendo,eu e meu esposo, é uma separação silenciosa minando um relacionamento de 21 anos.E confesso:no momento não tenho forças para mudar essa situação.
    DEUS te abençôe.

  8. Oi Dado… Acompanho com muito carinho quase td q vc escreve, este assunto estou vivendo agora, acredito no dialogo, mas desta fez não consegui concluir um diálogo que tinha td para ter um resultado positivo para ambas as partes. Depois que eu tinha explicado td, tinhamos trocados informações importantes… a pessoa acabou comigo, me acusou de estar levantando falso de outra pessoa, me deixando numa situaçao muito dificil diante da minha comunidade, ela não é uma pessoa confiavel e nem tem uma boa imagem diante da maioria das pessoas, mas ainda assim me machucou muito, pq eu nunca estive tão exposta como estou agora.

    Abraço… estou triste

  9. Oi Dado, há quanto tempo. Não estou mais recebendo seus avisos de tópicos novos. Mas esse é realmente bom.
    Eu tenho a lhe dizer que, infelizmente, optei pelo silêncio. É, depois que me separei, depois de um período bastante conturbado com a minha (ex) sogra e a minha (ex) cunhada, eu preferi me abster deles. Meu (ex) marido entrou no pacote, pois, onde ele está a mãe está também e vice-versa. Então, para evitar qualquer tipo de contraindicações e/ou efeitos colaterais, eu não estou nem olhando nos olhos deles.
    Na verdade, eu sei que se existisse maturidade em viver este nosso compromisso, mesmo diante das divergências de opiniões ou atitudes, poderíamos resolver nossa situação apenas conversando. Mas, a única coisa que posso fazer no momento é acreditar na nossa capacidade de mudança e na dos outros também!

    Para Deus nada é impossível.

  10. Dado, realmente, diálogo é tudo. É a base de tudo. Sem falar não se resolve nada. Desde que nascemos precisamos falar e ouvir. Mas e quando a gente se esforça, quer falar e o outro não quer ouvir? Que dificuldade… Sou até a favor de “brigas”. E com o passar do tempo (que é tão rápido), só se vai distanciando um do outro. Aí esfria o convívio e vai ficando mais difícil, e tudo vai se acabando: respeito, dignidade, amor,companheirismo, carinho, confiança.etc. E ainda pode gerar: mágoa,ódio,falta de perdão,alegria, Abraços!

  11. GELCIRLEI PEIXOTO

    EI MEU AMIGO DADO! A PAZ DO SENHOR! TENHO CONVIVIDO COM UMA CHEFE QUE NOSSO DEUS! TENHO APRENDIDO A PERDOAR E A RELEVAR PRA QUE NOSSA CONVIVÊNCIA SEJA TOLERÁVEL. ELA É MUITO RÍSPIDA ÀS VEZES E LOGO JÁ A SEGUIR, SORRI, BRINCA E ESQUECE DE COMO FOI ESTÚPIDA SEM NECESSIDADE NENHUMA. PARECE DUAS PESSOAS EM UMA. JÁ CHEGUEI A ACHAR QUE ELA É BIPOLAR.RSRSRS.
    ELA FAZ ISSO ATÉ COM MEU PATRÃO E CONFESSO, NÃO É NADA FÁCIL. MAS QUANDO ISSO ACONTECE COM QUEM AMAMOS É REALMENTE PÉSSIMO! ALIÁS SÓ NOS MAGOAM MESMO AS PESSOAS QUE SÃO REALMENTE IMPORTANTES E ISSO ATÉ FACILITA, EU ACHO. PORQUE SE SÃO IMPORTANTES, TEMOS A LIBERDADE DE RECLAMAR, DE DISCORDAR, DE DISCUTIR, DE BRIGAR E PELO AMOR, NOS ARREPENDERMOS, PEDIR PERDÃO, PERDOAR, E DAR BOAS GARGALHADAS DEPOIS DO VENDAVAL. SÓ COM QUEM REALMENTE AMAMOS PODEMOS SER O QUE SOMOS E TEMOS A HUMILDADE DE SERMOS TB PESSOAS QUE AMADURECEM E MUDAM E CRESCEM DIANTE DE DIFICULDADES, ACREDITANDO NA AMIZADE E AMOR VERDADEIROS QUE TUDO PODEM MODIFICAR E MELHORAR. ABRAÇO

  12. OI DADO!!! TD BEM??? Eu já passei por essa situação em minha vida, estou nesse momento resgatando o que foi perdido, sei que foi “DEUS , que lhe usou para falar para mim o que eu gostaria de ouvir, o tempo só tem me mostrado como aprendizado, estou perdoando mais e me vi que eu não sou tão certinha tbm… tenho os meus erros, dúvidas, mais aprendi que devemos em cada situação trabalhar um pouco mais, estou mais preparada para lidar com as situações que vinherem, um tempo atrás eu não pensava dessa forma. Eu tenho pedido para “DEUS” que eu seja uma mulher sábia, para que eu seje benção por onde eu passar… Bjos!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *