Meu relacionamento
Como evitar as crises no casamento

Foto: Daniel Mafra

Em tempos de namoro, fazemos muitos planos com quem estamos nos relacionando. No decorrer desse momento, os namorado projetam o futuro; preparam os enxovais, a futura moradia, pensam na cerimônia, na festa, escolhem os padrinhos, enfim, tudo é minuciosamente pensado e preparado.
Os detalhes são elaborados para que o evento seja parecido com um conto de fadas, realizando assim um sonho perfeito.
Depois do grande dia do casamento, o casal de namorados deixam a casa dos pais, abandonam a vida que levavam como solteiros e partem para uma nova conquista buscando concretizar seus novos projetos, agora em conjunto.

Mas como podemos nos capacitar para que possamos alcançar a vitória também nesse novo programa de vida a dois?
Após alguns anos de convivência e em meio as tensas crises, vamos perceber que os nossos planos como casais tiveram apenas inicio. Isso aconteceu lá atrás, quando estávamos rabiscando as estratégias para o casamento, mais precisamente, para os preparativos da cerimônia. De maneira muito ingênua acreditamos num casamento de contos de fadas. Talvez, tivéssemos acreditado que as crises que outros passaram, nós não iríamos sucumbir nos mesmos erros e assim, nos fizemos displicentes naquilo que poderia ser as estratégias para um plano de manutenção para o nosso relacionamento.

A gente sabe que todo veículo traz um cronograma de manutenção preventiva para assegurar seu bom funcionamento. Para os nossos relacionamentos esse plano de manutenção tem como objetivo de lembrar aos casais a não deixarem de olhar para as necessidades do outro.
Pois, de maneira sorrateia, uma coisa poderá ocupar o lugar de outra sem grandes alardes. Assim, aquela pós-graduação, a compra da casa nova, a conquista de uma promoção etc… pode fazer com que qualquer casal se ocupe em focar nas necessidades da casa ou da carreira e deixe os cuidados à quem está do seu lado. Isso pode acontecer com a pouca inclinação aos carinhos, algum descompasso referente ao interesse pelo sexo entre outras coisas. A vivência dessas e outras experiências é tão importante para o outro quanto é o seu plano de carreira.
Por isso, o cônjuge em questão, percebendo tais indícios precisará se desdobrar em aprender a manifestar tais gestos e rever suas prioridades, pois destes, dependerá a realização da felicidade do seu cônjuge.

Lembremos que um veículo para que tenha uma vida útil é necessário atentar para as revisões periódicas. Então, por que deixamos de atentar para aquelas coisas que também poderia tornar duradouros nossos relacionamentos?
Sabemos que os “consertos” inesperados muitas vezes se tornam mais caros se tivéssemos feitos tais revisões. Da mesma maneira, as manobras para vencer as dificuldades dentro de um relacionamento abalado serão mais dolorosas se tivermos que assumi-las em meio à crise. Antes, melhor manter a chama do entusiasmo acesa através do exercício da manutenção cotidiana de nossos relacionamentos.
Fazer o resgate de um relacionamento é uma atitude que exige muita garra dos casais, pois quando há um desgaste consequentemente perde-se o ânimo para reassumi-lo.

Em uma batalha vencem os soldados mais bem treinados. E de maneira parecida, se desejamos vencer os desafios proposto por uma vida conjugal, precisaremos também treinar para o convívio de uma vida que vai nos exigir sempre a parceria.

Um abraço

Dado Moura

Compartilhe com seus amigos!

2 Comentários

  1. Muito boa matéria, sábias palavras.

  2. Ótima matéria, parabéns…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *