Quando é namoro ou amizade?

como podemos identificar quando é namoro ou amizade?

O homem não nasceu para viver isolado. Disso sabemos e inclusive estudamos na escola a importância dos nossos relacionamentos. Poderíamos dizer que a amizade entre as pessoas fundamenta-se nos encontros de suas necessidades diversas e em suas descobertas conjuntas baseadas na lealdade e no comprometimento de ambas as partes.

Ainda quando estávamos dentro do convívio familiar, nossos abraços, beijos e outras manifestações de carinho tinham uma conotação fraterna. Num convívio social mais abrangente vivemos uma outra dimensão na qual continuamos a ser fraternos, mas com pessoas que não tínhamos convivido anteriormente.

A preocupação e o carinho recebido por parte de nossos amigos, poderiam facilmente ofuscar nossa visão, a ponto de acharmos estar apaixonado ou viver um outro tipo de amor, platônico ou não, por esta pessoa. Mas, se um namoro começa a partir de uma amizade verdadeira, como podemos identificar se o nosso abraço está ganhando um sabor diferenciado? Poderia aquele(a) amigo(a) ser um(a) futuro(a) namorado(a)?

Do convívio de amigos de longo tempo e da admiração por suas qualidades, da maneira de pensar,etc. a pessoa pode pensar ter encontrado a sua cara-metade.
Assim como o valor de um diamante se concentra na ausência de impurezas, nossos sentimentos, da mesma forma precisam ser trabalhados, a fim de identificar e eliminar as impurezas que podemos colocar, quando nos sentimos perdidos no “oceano” de nossas carências.

Algumas vezes, podemos projetar no amigo a necessidade de proteção ou de cuidados que não foram recebidos. Outras pessoas veem uma oportunidade para cura de suas frustrações, medos ou inseguranças… Considerando a possibilidade de viver a mudança de uma amizade para um namoro, este será o momento propício para investir ainda mais na amizade no sentido de buscar respostas para perguntas como:

O que me faz ver essa pessoa como um namorado?
Que sinais eu percebo nessa pessoa, e que vejo a possibilidade de crescimento numa vida a dois?
Que hábitos ou costumes a pessoa traz, os quais não compartilho e que exigirá disposição para mudanças?
Essas e outras perguntas precisarão encontrar respostas que consideramos relevantes para a nossa felicidade. Pois nesse tempo de pesquisa, pode-se constatar que a admiração que se tinha, o sentimento de cumplicidade, a compatibilidade de ideias, não desapareceram mas o sentimento para algo além da amizade, que se pensava existir, já não se encontra mais.

Sem atropelos, e na maturidade da afetividade, devemos nos colocar predispostos a viver esse tempo de conhecimento recíproco sem antecipar experiências, impulsionados por carências e desejos desenfreados, o que poderia, tão somente, esvaziar o puro relacionamento de amizade que existia.

Um abraço

Dado Moura

(texto extraído do livro do mesmo autor: Relações sadias, laços duradouros)

Compartilhe com os amigos!

15 Comentários

  1. Laísa Araújo

    Obrigada Dado Moura pelas suas palavras.
    Elas sempre me auxiliam a pousar minha afetividade no território da razão e da verdade.
    Deus abençoe você sempre!

  2. sou muito isterica por falta de uma grande amigo de verdade que seja o honesto de verdade para compatinha ha dois ,espero sua resposta.

  3. Yra Helena Costa

    Sou professora e preciso de novidades textos complementares para melhorar e dinamizar o meu trabalho.

  4. o qeria complementar esse site no seguinte
    pra se vai dar namoro ou amizade, por exemplo um teste e pra cada resultado sai um numero qe leva a resposta

  5. apesar que nao e tao facio esquecer depois que ama ,ai e tarde o medo de perde a amizade e bem maior

  6. eu gosatei de verddade deste texto “!
    é muito tri ….
    e tb muito verdaeiro

  7. PARABÉMS ´-E BOM TER UM SITE ASSIM

  8. Mt legal este texto… eu acabo de sair de um relacionamento em que eramos mt amigos…Conheço ele a mas de 7 anos e então como nos damos mt bem, decidimos namorar, mas infelizmente ñ deu certo… Terminamos pq somos mt melhores como amigos do que como namorados, a amizade continuou, mas esta diferente ainda ñ sei se é pq é recente, mas quando nos vemos o coração bate forte ainda, o meu pelo menos e o dele percebo q muda tbm…
    Vamos dar tempo ao tempo e seja o que Deus quise, por enquanto continuareos amigos, até quando ñ sei, axo que até um conseguir esquecer do outro e retornar apenas a amizade maravilhosa que tinhamos…
    Particularmente axo muito dificil grandes amigos se tornarem grandes amores…

  9. É, AS VEZES O CLICK TAMBÉM SÓ SURGE PARA UM LADO.
    AÍ O JEITO É MANTER A AMIZADE E ESQUECER O AMOR.

  10. Mesmo nos dias de hj ainda acredito q possa se encontrar um amor verdadeiro ,e quem sabe a partir de uma amizade,mais o amor verdadeiro 1 começa a partir do seu amor por vc mesmo,e obediencia a DEUS ,nao sou eu quem falo mais ta escrito,guardai vos para seu marido, e marido para sua esposa,isso diz tudo sobre a situaçao de muitos nos dias de hj !!!depois reclamam pq sera q naum consigo uma pessoa especial na minha vida?será q vc fez por onde??pense nisso!Buscai 1 o reino dos céus e o tudo lhe sera acrescentado!Sera q as pessoas estao seguindo este mandamento??abraços a todos!!!!

  11. ana cláudia da silva

    preciso encontra a minha cara metade,com é que eu posso encontrar?por favor mim ajude,gotaria que tivesse fotos de rapazes,tchal e beijoosss…………

  12. Duma amizade surgir um grand amor acho dificil,talvez dum amor uma amizad pois pa mim o amor surge dpois dum clik mesmo!

  13. MARIA JOSE

    GOSTEI MUITO DESSE TEXTO …. PARABENS !!DE UM AMIZADE PODERA SIM NASCER UM GRANDE E LINDO AMOR MESMO QUE IMPOSSIVEL MAS SINCERO E VERDADEIRO!!! UM GRANDE ABRAÇO

  14. É curioso que, ao ler este teu texto, encontrei algumas respostas que há algum tempo procurava.
    Sempre fui movida a paixões. Para mim, sempre foi importante existir aquele “click” inicial, aquele envolvimento, aquela coisa de pele…e daí, poderá então surgir algo mais ou não.
    Todos as minhas paixões e amores surgiram assim…dessa forma impulsiva e irracional, sem qualquer tipo de análise ou reflexão.
    Até que um dia, aconteceu o que relatas no teu texto.
    Do convívio com um amigo de longa data, alguem que eu admirava pelas suas qualidades, maneira de ser, de pensar, e por constatar que existia uma grande cumplicidade e compatibilidade de sonhos e objectivos, comecei a olhar p’ra ele de outra forma. Durante meses, achei que aquele sentimento se tinha alterado. Achei que estava ali a pessoa certa p’ra mim e por quem eu já sentia muito mais que amizade.
    Até que… quando houve finalmente um envolvimento…de repente tudo mudou. Morreu ali mesmo. Não a admiração que tinha, não o sentimento de cumplicidade, não a compatibilidade de ideias, mas aquilo que eu achava que sentia.
    Durante algum tempo não conseguia perceber o que se tinha passado.
    Ao lêr o teu texto, percebi que alguma coisa nas tuas palavras não me convenciam… e dei por mim a pensar : ” E aquele click inicial? E aquela coisa estranha e forte que surge do nada quando batemos de frente com determinada pessoa? ”
    Percebi então que isso não acontece com alguem que já é nosso amigo. E não aconteceu com ele. Foi o que faltou e já nada podia mudar isso.

    Olhando para trás agora, vejo que de facto, preciso desse “momento mágico” inicial… as compatibilidades, os sonhos e objectivos comuns, o amor…surge depois ou não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>